Pular para o conteúdo principal

Quebrando a sapatilha de ponta



Você já deve ter ouvido falar que as bailarinas precisam quebrar suas sapatilhas pra poder dançar com elas, né? Mas afinal, por que quebrá-la?
Quebrar uma sapatilha (nova) vai deixá-la mais confortável e mais fácil de subir. Quando uma bailarina quebra sua sapatilha, ela está, na verdade, moldando-a pra que fique no formato de seus pés.
Lembrando que tudo começa com um par de sapatilhas que foram escolhidas especificamente e unicamente pro uso de uma bailarina.
Na ora de comprar e fazer seu fitting, dê preferência a quem entende e tem experiência no ramo, pois se você começa com um número errado, pra acertar depois fica difícil. E se você já comprou a sua então aqui vão algumas dicas pra te ajudar a quebrá-las e amaciá-las!
  1. Amacie a box. Massageie gentilmente as laterais, pressionado pra baixo, como se você quisesse amassá-la. Use as mãos, hein? Seu pé pode danificar a box! Algumas bailarinas amaciam a box ficando em cima dela ou batendo com um martelo ou imprensando na porta. Esse procedimento pode danificar sua sapatilha. O melhor mesmo é não tentar amaciar tanto essa parte, pois isso termina acontecendo normalmente durante as aulas. Algumas bailarinas até preferem uma box mais dura.
  2. Amaciando a palmilha. Ela geralmente é mais dura que uma palmilha de um sapato comum, pois serve para dar sustentação a bailarina uma vez na ponta. Massageie gentilmente a região da meia ponta – cavinha de seu pé. Ela fica justamente na região que se dobra num relevé.
  3. Ande na meia ponta. Uma das melhores maneiras de se amaciar uma sapatilha é andando com ela em casa. Tente caminhar com ela na meia ponta, forçando o arco de seus pés para deixar a sapatilha mais adaptada a eles.
  4. Faça elevés. Começando na primeira posição, faça plié e vá subindo devagarinho, passando da meia ponta pra ponta. Depois da ponta pra meia ponta.
  5. Trabalhe na barra. Exercícios na barra também ajudam a quebrar suas sapatilhas. Faça pliés, elevés… Lembre-se de sempre começar pela meia ponta e depois fazer a transição pra ponta; depois descanse seus pés.
IMPORTANTE:
  1. Se você está quebrando sua primeira sapatilha, peça ajuda a seu/sua instrutor(a).
  2. Jamais use um martelo pra quebrar sua ponta. Isso pode danificá-la.



                                                                                                                                                                                  

Comentários

  1. Oi, queria falar que adoro o blog! Bem, queria fazer uma pergunta, mas ela será meia compridinha rsrs.
    Bem, com 8 anos de idade comecei a fazer ballet, com 10 anos comecei jazz, e com 11 e 12 dança do ventre, tudo isso na minha escola. Só que não era a dança puxada mesmo, então eu não era bem alongada. Ano passado (2012), parei com a dança, porque estava com preguiça =/
    Mas esse ano quis voltar com tudo. Então comecei a fazer ballet e jazz novamente, porém, agora onde estou fazendo é mais puxado, do que quando eu era mais nova.
    As meninas que estão fazendo comigo sabem mais que eu, são bem mais alongadas. Então eu tenho que dar o máximo de mim. No ballet, minha professora, pediu para todas comprarem a sapatinha de ponta, eu comprei. Só com duas aulas de ballet com a de ponta, ela já está quebrada =D
    A professora falou que minha ponta, é muito boa, melhor do que de umas que já fazem/e usavam a sapatinha à mais tempo.
    Então, eu queria saber se porque eu comecei novamente o ballet esse ano, e sou mesmo alongada tem problema?? Vou fazer 14 mês que vem. É isso, beijos :*

    ResponderExcluir
  2. Não tem problema, se você conseguiu quebrar o gesso é porque seu pé já é forte o bastante para ficar na ponta.

    ResponderExcluir
  3. Eu realmente não sei se quebrei a ponta, pois a vezes da impressão que sim, outras não. Eu parei de fazer ballet a um tempo mas eu continuo treinando então não tenho para niguem para tirar minha duvida

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Brincadeiras para aula de Baby Class

Recursos Didáticos – Brincadeira é coisa séria! A brincadeira deve ser valorizada pois é através dela que se constrói os conceitos lógicos-matemáticos: quantidade, tamanho, distância, etc. A brincadeira diverte e educa através de jogos, dancinhas, concursos, grupinhos, histórias, etc.
1-Técnica Significa fazer bem feito o que aprendeu, libertando energia física e emocional. Deve ser considerada em último plano, pois é conseqüência do trabalho de base.Deve ser exigida somente a partir dos 9 anos mais ou menos.
2-Esquema corporal Ensinar as diferenças e a importância de cada parte do corpo, explicando que podemos mexer com os dedos sem mexer com as mãos etc. Ex: – as crianças sentadas no chão deverão mexer com cada parte de seu corpo independentemente, começando pelos dedos dos pés e ir subindo até tomar todo o corpo.
3-Ritmo/Musicalidade Cada criança tem um ritmo próprio que dever ser respeitado. O professor deve despertar a musicalidade utilizando a música durante as brincadeiras. Ex: – em roda…

Tenho 15 anos, posso começar o ballet nesta idade?

O ideal é começar mais nova porque o físico é mais fácil de ser trabalhado, mas em compensação com a sua idade a consciência corporal é muito melhor e você irá conseguir associar a técnica ao corpo mais rápido, principalmente se tiver certas facilidades como um bom pé, flexibilidade, força, boa memória e musicalidade. Ballet não é fácil e não é a idade que vai mudar isso, o importante é você fazer o que te realiza para que não se arrependa depois...se isso vai te fazer feliz, você enfrentará qualquer dificuldade com coragem e vai valorizar cada sacrifício necessário para ser uma boa bailarina...procure uma boa escola e a ajuda de um profissional para te orientar melhor...e espero que você consiga alcançar seus objetivos no ballet e na vida...!!!!