Pular para o conteúdo principal

O eixo nas piruetas

Quando ouvimos a palavra pirueta, logo entramos em desespero, certo?! Pode ser por não saber fazer, ou por ter mesmo medo de girar (oi?!). Eu, por exemplo, ficava desesperada por causa da última opção... Tinha medo de torcer o tornozelo, cair de cara no chão, principalmente quando os giros eram na ponta. Mas, como as minhas professoras diziam: "Toda bailarina cai, é normal!". Então o jeito é se jogar, não ter medo de ser feliz! :-)

Antes de tudo.... treine na barra!

Como comentei no post anterior, trabalhar na barra é fundamental para dar boas piruetas. Capriche bem na sustentação do passé durante os exercícios! Tente tirar os dois os braços da barra e ficar no balancé o tempo que conseguir. Não se preocupe se não conseguir ficar em equilíbrio nem com um dos braços na barra; lembre-se de que no ballet tudo é questão de treino, então comece de frente para barra com os dois braços nela, e depois vá tentando progredir. Mas não esqueça de ficar com o encaixe e postura corretos, e o pé do passé tem que estar em cima ou um pouquinho acima do joelho e bem en dehors, nada de acomodar o pé sobre a perna de base! 

Agora é o momento de tensão: treinando pirueta no centro!

Depois de se preparar na barra, é o momento do tira-teima: a pirueta de centro! Geralmente, as bailarinas e bailarinos iniciantes começam com a piruette em 4ª ou 3ª posição, que é bem mais fácil do que a de 5ª. A preparação do exercício pode ter um pequeno pas de bourré ou pas de valse, e depois o plié. Lembre-se de que você tem que estar bem encaixada nessa hora; é a qualidade do plié que definirá a qualidade e a quantidade das piruetas. Então capriche nele, barriga contraída e pescoço alongado!

Na hora de tirar o passé, lembre-se de não torcer o pé sobre a perna de base, como já disse. É muito feio, não cometa esse erro! E ele tem que ser feito rápido, a perna não pode demorar demais para ficar na posição.

A posição de braço que mais ajuda é da terceira para a primeira. Não esqueça de manter os braços alinhados ao centro do corpo na pirueta, nunca deixe-os tortos.

E o pescoço: é o último que sai e o primeiro que chega!

E lembre-se: sempre tente alongar-se ao máximo durante o giro. Isso aumenta o número de piruetas dadas e torna-as mais bonitas!
Foto retirada deste site.
Espero que tenha ajudado as pessoas que me pediram esse post!

Comentários

  1. Amei esse post,faço balé e sei o quanto é complicado fazer uma pirueta mas nunca impossivel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é complicado de fazer pirueta (para mim não)..

      Excluir
  2. Eu consigo fazer pirueta,aprendi rápido.Sou uma ótima bailarina,faso balé á 1ano e meio.Tenho 11 anos.. *_*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Brincadeiras para aula de Baby Class

Recursos Didáticos – Brincadeira é coisa séria! A brincadeira deve ser valorizada pois é através dela que se constrói os conceitos lógicos-matemáticos: quantidade, tamanho, distância, etc. A brincadeira diverte e educa através de jogos, dancinhas, concursos, grupinhos, histórias, etc.
1-Técnica Significa fazer bem feito o que aprendeu, libertando energia física e emocional. Deve ser considerada em último plano, pois é conseqüência do trabalho de base.Deve ser exigida somente a partir dos 9 anos mais ou menos.
2-Esquema corporal Ensinar as diferenças e a importância de cada parte do corpo, explicando que podemos mexer com os dedos sem mexer com as mãos etc. Ex: – as crianças sentadas no chão deverão mexer com cada parte de seu corpo independentemente, começando pelos dedos dos pés e ir subindo até tomar todo o corpo.
3-Ritmo/Musicalidade Cada criança tem um ritmo próprio que dever ser respeitado. O professor deve despertar a musicalidade utilizando a música durante as brincadeiras. Ex: – em roda…

Tenho 15 anos, posso começar o ballet nesta idade?

O ideal é começar mais nova porque o físico é mais fácil de ser trabalhado, mas em compensação com a sua idade a consciência corporal é muito melhor e você irá conseguir associar a técnica ao corpo mais rápido, principalmente se tiver certas facilidades como um bom pé, flexibilidade, força, boa memória e musicalidade. Ballet não é fácil e não é a idade que vai mudar isso, o importante é você fazer o que te realiza para que não se arrependa depois...se isso vai te fazer feliz, você enfrentará qualquer dificuldade com coragem e vai valorizar cada sacrifício necessário para ser uma boa bailarina...procure uma boa escola e a ajuda de um profissional para te orientar melhor...e espero que você consiga alcançar seus objetivos no ballet e na vida...!!!!

Quebrando a sapatilha de ponta

Você já deve ter ouvido falar que as bailarinas precisam quebrar suas sapatilhas pra poder dançar com elas, né? Mas afinal, por que quebrá-la? Quebrar uma sapatilha (nova) vai deixá-la mais confortável e mais fácil de subir. Quando uma bailarina quebra sua sapatilha, ela está, na verdade, moldando-a pra que fique no formato de seus pés. Lembrando que tudo começa com um par de sapatilhas que foram escolhidas especificamente e unicamente pro uso de uma bailarina. Na ora de comprar e fazer seu fitting, dê preferência a quem entende e tem experiência no ramo, pois se você começa com um número errado, pra acertar depois fica difícil. E se você já comprou a sua então aqui vão algumas dicas pra te ajudar a quebrá-las e amaciá-las! Amacie a box. Massageie gentilmente as laterais, pressionado pra baixo, como se você quisesse amassá-la. Use as mãos, hein? Seu pé pode danificar a box! Algumas bailarinas amaciam a box ficando em cima dela ou batendo com um martelo ou imprensando na porta. Esse proced…