Pular para o conteúdo principal

Sapatilhas de Ponta: Os problemas de quem usa a sapatilha de ponta e suas soluções


Usar as sapatilhas de ponta pode ser complicado. Encontrar uma sapatilha de ponta que se encaixa no pé adequadamente pode levar algum tempo. Depois de encontrar a sapatilha de ponta certa para seus pés, você pode precisar fazer alguns ajustes, a fim de encontrar o ajuste perfeito. Veja os cincos problemas e soluções para você que usa a sapatilha de ponta:
1. Dor no dedão
Se você está sentindo dor no dedão do pé ou as unhas estão ficando machucadas, primeiro cheque para verificar se a sapatilha não está pequena ou larga demais.
Uma vez que você tem certeza que o ajuste está correto, tente as seguintes técnicas:
• Gel ou Espuma Almofada: Coloque um pequeno protetor de espuma ou gel debaixo de seu dedão do pé. O protetor deve ser suficientemente grande para chegar ao topo de sua unha.
2. Segundo dedo do pé grande
Se o seu segundo dedo é maior que seu dedão do pé, coloque um pedaço de gel ou espuma na ponta de seu dedão para ficar do mesmo comprimento que o segundo dedo do pé.
3. Dor no Joanete
Se o seu segundo dedo é maior que seu dedão do pé, você pode ter muito espaço entre os dois. Esse problema, por vezes, resulta em dor no joanete comum. Tente utilizar um separador do dedo do pé no espaço. Se a dor persistir, um podólogo ou ortopedista pode ajudar com a dor no joanete.
4. Dores ou atrito
Se você está propenso a pontos doloridos ou atrito da pele, tente enrolar os dedos doloridos com uma fita de espuma com elástico.
5. Sapatilhas não firmes no pé
Se as sapatilhas de ponta não estão seguras no seu pé, e seu pé fica lá dentro deslizando verifique se a sapatilha não está grande demais. Se o ajuste está correto e as fitas e elásticos estão fazendo seu trabalho, tento colocar um protetor maior na ponta dos seus dedos ou uma palmilha para deixar seu pé mais confortável dentro da sapatilha.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Brincadeiras para aula de Baby Class

Recursos Didáticos – Brincadeira é coisa séria! A brincadeira deve ser valorizada pois é através dela que se constrói os conceitos lógicos-matemáticos: quantidade, tamanho, distância, etc. A brincadeira diverte e educa através de jogos, dancinhas, concursos, grupinhos, histórias, etc.
1-Técnica Significa fazer bem feito o que aprendeu, libertando energia física e emocional. Deve ser considerada em último plano, pois é conseqüência do trabalho de base.Deve ser exigida somente a partir dos 9 anos mais ou menos.
2-Esquema corporal Ensinar as diferenças e a importância de cada parte do corpo, explicando que podemos mexer com os dedos sem mexer com as mãos etc. Ex: – as crianças sentadas no chão deverão mexer com cada parte de seu corpo independentemente, começando pelos dedos dos pés e ir subindo até tomar todo o corpo.
3-Ritmo/Musicalidade Cada criança tem um ritmo próprio que dever ser respeitado. O professor deve despertar a musicalidade utilizando a música durante as brincadeiras. Ex: – em roda…

Tenho 15 anos, posso começar o ballet nesta idade?

O ideal é começar mais nova porque o físico é mais fácil de ser trabalhado, mas em compensação com a sua idade a consciência corporal é muito melhor e você irá conseguir associar a técnica ao corpo mais rápido, principalmente se tiver certas facilidades como um bom pé, flexibilidade, força, boa memória e musicalidade. Ballet não é fácil e não é a idade que vai mudar isso, o importante é você fazer o que te realiza para que não se arrependa depois...se isso vai te fazer feliz, você enfrentará qualquer dificuldade com coragem e vai valorizar cada sacrifício necessário para ser uma boa bailarina...procure uma boa escola e a ajuda de um profissional para te orientar melhor...e espero que você consiga alcançar seus objetivos no ballet e na vida...!!!!

Abertura (Grand Ècart) ajuda

Abertura (Grand Ècart) ajuda
 Passo 1 • Comece pelo rebaixamento em uma perna. • Certifique se os joelhos estão na posição certa. • O quadril deve estar retinho, sem desencaixar. • Mantenha os ombros de frente e para cima, com as mãos no chão para o equilíbrio. • Delicadamente estique seu corpo para a frente, sentindo um alongamento agradável. • Mantenha o alongamento por 20 a 30 segundos, sem sair.Para aprender a fazer uma abertura frontal.
 Passo 2 • Com a perna da frente em linha reta, deixa o corpo cair com o peso por cima dela. • Mantenha os dedos apontados para frente, para trás os do pé no chão. • Use as mãos para apoiar. • Mantenha o alongamento por 20 a 30 segundos, sem sair.

  Passo 3  • Deite-se de costas, levantando uma perna para o ar.  • Segure a parte inferior elevada, com ambas as mãos.  • Mantendo sua perna ligeiramente flexionada, puxe a perna em direção a seu corpo  • Mantenha o alongamento por 20 a 30 segundos.

  Passo 4