Pular para o conteúdo principal

Histórico da Sapatilha de Ponta



sapatilha-de-ponta-cupe
“Point Shoes” – “Sapatos de Ponta”
Pointe ou (point) – Dançar na ponta, quer dizer, na extremidade da ponta dos dedos. Existe uma terminologia distinta entre sur La pointe “sobre a ponta” (em toda ponta) – à trois quartes… “Erguer-se sobre os dedos flexionados” – à demi = “no arco do pé” – à quart = “no arco todo do pé, com alta elevação dos calcanhares”.
Historiadores discordam a respeito de quem foi a primeira bailarina a elevar-se e aparecer nas pontas. O primeiro crítico, Castil-Blaze, cita o fato de Mlle. Gosselin (1818), em posição de elevação “por alguns minutos” nas pontas.
Istomina também disse ter dançado “completamente sobre as pontas”, depois de 1820. Waldeck, datando de 1821, mostra F. Bias em “Flore et Zéphyre” nas pontas. Em Milão e Viena, A. Brugnoli ficou admirado pela técnica de pontas que ela apresentava, isto ainda no ano de 1820.
Marie Taglione eleva-se dançando nas pontas, como virtuosa façanha, para expressar as imagens fantásticas, sublimes, e poéticas de um compositor e artista. Este Ballet, criado porFokine, ainda com rudimentar libreto sobre os espíritos aéreos das lendas celtas e germânicas, povoando a imaginação do jovem compositor, é de significativa expressão, uma vez que passam a ser considerados todos os ensinamentos e considerações de Noverre em seu “Ballet d’action”, marcando inicial harmonização entre todos os elementos artísticos necessários à realização de um Ballet. Este Ballet, suíte em branco, “Chopinianas” ou “Les Sylphides”,caracterizou-se por sua mensagem de beleza espiritual com movimentos e expressões etéreas, foi montado em 1830, sofrendo importante remontagem em 1909 quando sua partitura foi trabalhada em harmonioso arranjo com corpo de baile integrado, num sentido global e seu nome mudado para “Les Sylphides”.
Tal montagem foi de maravilhosa importância para a expressão do Movimento Romântico, iniciado com a aparição de Marie Taglione em 1832. Marie Taglione teve como rival a austríacaFanny Elssler (1810-1884), que caracterizou-se por ser o oposto de Taglione (etérea), viva, sensual, humana e com apurado temperamento. Uma terceira mulher marca sua passagem nesta época áurea – Carlota Grisi (1819-1899). Esta reunia todas as qualidades etéreas de Marie Taglione e as vivas e sensuais de Fanny Elssler. Para ela, o apaixonado Gautier escreveu o famoso e imortal libreto, do protótipo clássico romântico, “Giselle”, (1841).
Durante estes primeiros anos de conhecimento e desenvolvimento na técnica de ponta não existiram sapatos especiais; bailarinas acolchoavam, forravam seus sapatos com algodão, lã e cerziam suas pontas, para que elas dessem uma estabilidade maior.
Modernos sapatos de ponta, com sua extremidade endurecida com cola, começam a aparecer durante o ano de 1860. As sapatilhas continuam sendo cerzidas pelas bailarinas, que também costuram fitas na altura dos tornozelos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Brincadeiras para aula de Baby Class

Recursos Didáticos – Brincadeira é coisa séria! A brincadeira deve ser valorizada pois é através dela que se constrói os conceitos lógicos-matemáticos: quantidade, tamanho, distância, etc. A brincadeira diverte e educa através de jogos, dancinhas, concursos, grupinhos, histórias, etc.
1-Técnica Significa fazer bem feito o que aprendeu, libertando energia física e emocional. Deve ser considerada em último plano, pois é conseqüência do trabalho de base.Deve ser exigida somente a partir dos 9 anos mais ou menos.
2-Esquema corporal Ensinar as diferenças e a importância de cada parte do corpo, explicando que podemos mexer com os dedos sem mexer com as mãos etc. Ex: – as crianças sentadas no chão deverão mexer com cada parte de seu corpo independentemente, começando pelos dedos dos pés e ir subindo até tomar todo o corpo.
3-Ritmo/Musicalidade Cada criança tem um ritmo próprio que dever ser respeitado. O professor deve despertar a musicalidade utilizando a música durante as brincadeiras. Ex: – em roda…

Tenho 15 anos, posso começar o ballet nesta idade?

O ideal é começar mais nova porque o físico é mais fácil de ser trabalhado, mas em compensação com a sua idade a consciência corporal é muito melhor e você irá conseguir associar a técnica ao corpo mais rápido, principalmente se tiver certas facilidades como um bom pé, flexibilidade, força, boa memória e musicalidade. Ballet não é fácil e não é a idade que vai mudar isso, o importante é você fazer o que te realiza para que não se arrependa depois...se isso vai te fazer feliz, você enfrentará qualquer dificuldade com coragem e vai valorizar cada sacrifício necessário para ser uma boa bailarina...procure uma boa escola e a ajuda de um profissional para te orientar melhor...e espero que você consiga alcançar seus objetivos no ballet e na vida...!!!!

Quebrando a sapatilha de ponta

Você já deve ter ouvido falar que as bailarinas precisam quebrar suas sapatilhas pra poder dançar com elas, né? Mas afinal, por que quebrá-la? Quebrar uma sapatilha (nova) vai deixá-la mais confortável e mais fácil de subir. Quando uma bailarina quebra sua sapatilha, ela está, na verdade, moldando-a pra que fique no formato de seus pés. Lembrando que tudo começa com um par de sapatilhas que foram escolhidas especificamente e unicamente pro uso de uma bailarina. Na ora de comprar e fazer seu fitting, dê preferência a quem entende e tem experiência no ramo, pois se você começa com um número errado, pra acertar depois fica difícil. E se você já comprou a sua então aqui vão algumas dicas pra te ajudar a quebrá-las e amaciá-las! Amacie a box. Massageie gentilmente as laterais, pressionado pra baixo, como se você quisesse amassá-la. Use as mãos, hein? Seu pé pode danificar a box! Algumas bailarinas amaciam a box ficando em cima dela ou batendo com um martelo ou imprensando na porta. Esse proced…